(48) 3521-0835

Com imagem positiva para a popula├ž├úo, C├ómara de Vereadores projeta segundo semestre

O trabalho dos vereadores araranguaenses tem sido visto com “bons olhos” pela população. É a primeira vez na história da casa que os primeiros seis meses do ano não há concessão de diárias e custeio de viagens em busca de recursos. O resultado disso é ainda melhor quando considerado que no mesmo período, os vereadores conquistaram cerca de R$1,5 milhão em emendas parlamentares. “Os levantamentos que fizemos mostram resultados além do esperado quando implantamos a proposta de economizar recursos da Câmara. Importante constatarmos também que mesmo sem a concessão de diárias, os vereadores não deixaram de cumprir seu papel”, avaliou o presidente, Daniel Viriato Afonso, que idealizou o projeto de contenção de despesas, o qual foi apoiado por unanimidade.

Além dos vereadores, os servidores também deixaram de receber diárias, gratificações e vantagens. O objetivo somente com estas incorporações salariais é economizar em 4 anos, mais de R$1 milhão. Os contratos com empresas terceirizadas e prestadoras de serviços também foram cortados em boa parte. Contenção de despesas das mais simples as mais complexas estão sendo feitas, como por exemplo, a substituição das cópias em papel dos projetos e documentos por arquivos digitalizados em cada gabinete. “Em tempo de crise é importante respeitar o dinheiro público e conter todo o tipo de despesa possível”, completou o secretário da mesa diretora, vereador, Pedro Paulo Souza (PSD).

A projeção é que até o final do ano, cerca de R$1 milhão seja economizado e devolvido ao município através do projeto “Câmara Solidária” que já beneficou áreas como Saúde, Assistência Social e Segurança Pública com R$670 mil de janeiro à julho. “Nos sentimos orgulhosos em fazer um trabalho deste nível e poder ajudar nosso município de maneira tão ativa”, comentou  o primeiro vice-presidente, João Abílio Pereira (PRB).

 

Entidades e OAB elogiam medidas

Como a sociedade civil organizada é a representação mais próxima da vontade popular, a opinião dos representantes de importantes entidades sobre as medidas inéditas adotadas pela Câmara de Vereadores neste mandato foi ouvida. Segundo o presidente da subseção da OAB de Araranguá, Dr. Laercio Machado, a atitude dos vereadores araranguenses merece ser exemplo em outros lugares. “Estamos orgulhosos de ver os cortes nos gastos serem colocados em prática efetivamente. É uma obrigação do agente público respeitar o dinheiro público e fazer bom uso dele. Por isso, acredito que estas medidas devem ser seguidas daqui em diante”, comentou. Para a presidente do Sindicato dos Contabilistas do Vale do Araranguá – o Sindicont, Gabriele Gil, toda e qualquer ação dos órgãos públicos reflete no bolso do cidadão. “Entendemos que estas medidas tomadas pelos vereadores são necessárias e não passam de obrigação. Sentimos por não terem tomado esta atitude antes, por isso, o presidente Daniel está de parabéns pela iniciativa. Os contribuintes e cidadãos precisam acompanhar e cobrar mais decisões como esta”, avaliou Gabriele.

Outras entidades também se manifestaram, como foi o caso da Aciva, através do presidente, Norberto Rizotto, que respondeu pela classe empresarial. “Já ouvimos falar em outros municípios sobre a decisão dos vereadores de nossa cidade e o quanto isso tem refletido positivamente. Só temos a agradecer a coragem e o esforço da presidência em mostrar que é possível cuidar da coisa pública de maneira responsável”. Representando a Câmara de Dirigentes Logistas – CDL, o diretor da entidade, Edward de Almeida, elogiou o trabalho dos vereadores. “Estamos satisfeitos em ver a condução da casa neste aspecto. Em período de crise vivenciada por todos setores, inclusive, o político, Araranguá se mostra como exemplo para todo o Brasil”, completou.    

 

Segundo Semestre planejado na casa

A intenção nos próximos meses do ano é dar continuidade ao trabalho na maneira que foi conduzido no primeiro semestre. “Estamos apoiando os projetos em benefício da população, estudando as principais demandas e quais áreas poderemos contribuir melhor”, revelou o segundo-secretário da mesa diretora, vereador, Luciano Pires (PSB). De acordo com o segundo-vice presidente, Paulo Roldão (PSDB), o traballho em conjunto permanecerá. “A presidência nos orientou e vamos seguir nesta idéia de todos os vereadores atuarem no sentido de conter despesas e dar bons exemplos”, completou.

Em breve novas etapas do projeto “Câmara Solidária” serão divulgados, mas a seleção do melhor uso dos recursos está sendo criteriosamente pensado é o que garante o presidente, Daniel. “Nos comprometemos em valorizar cada real, cada recurso, para trazer benefício para a população. Me comprometi em criar uma nova cultura de economia na Câmara e até o final do mandato esta será minha principal meta: que os vereadores sejam exemplos de respeito ao dinheiro público”. A projeção é que até o final de 2018, mais R$330 mil sejam devolvidos a administração pública para viabilizar projetos de interesse coletivo.